Exibição documento completo
ATUALIZADO EM: 21/05/2019
GOVERNO DE ALAGOAS
SECRETARIA DA FAZENDA
(Este texto não substitui o publicado no DOE)

Decreto614 DE 12 DE Abril DE 2002
PUBLICADA NO DOE EM 15 DE Abril DE 2002

INSTITUI DOCUMENTO DENOMINADO “CONTROLE DE APROPRIAÇÃO DE CRÉDITO DO ICMS DO ATIVO PERMANENTE” - CIAP, PARA FINS DE CONTROLE DA APROPRIAÇÃO DOS CRÉDITOS DO ICMS DECORRENTES DA ENTRADA DE BENS DESTINADOS AO ATIVO PERMANENTE.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do artigo 107 da Constituição Estadual,

Considerando as disposições do § 6º, do art. 34 da Lei 5.900, de 27 de dezembro de 1996, e a edição do Ajuste SINIEF 08/97, com as alterações do Ajuste SINIEF 03/01,

DECRETA:

Art. 1º Fica instituído, para o contribuinte que adquirir bem para compor o ativo permanente, o documento “Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente” - CIAP, que deve ser utilizado nos modelos adiante indicados, conforme a data de aquisição do bem:

I - modelo B, conforme Anexo I, destinado à apuração do valor da base do estorno de crédito e do total do estorno mensal do crédito, relativamente ao crédito apropriado nos termos do art. 20, § 5º, da Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro de 1996, em sua redação original;

II - modelo D, conforme Anexo II, destinado à apuração do valor do crédito a ser mensalmente apropriado, nos termos do art. 20, § 5º, da Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro de 1996, na redação dada pela Lei Complementar nº 102, de 11 de julho de 2000.

III – modelo previsto pela Escrituração Fiscal Digital – EFD, instituído por meio do Ajuste SINIEF 02/09, de 3 de abril de 2009, destinado à apuração do valor do crédito a ser mensalmente apropriado, nos termos do art. 20, § 5º da Lei Complementar 87, de 13 de setembro de 1996, com redação dada pela Lei Complementar 102, de 11 de julho de 2000 (Ajuste SINIEF 7/10).

 

Parágrafo único. Poderá o contribuinte optar pelo modelo adotado pela unidade federada em que estiver localizada a sua matriz.

* Inciso III e parágrafo único acrecentados ao art 1º, pelo Decreto nº 8.623/2010.

Art. 2º No CIAP, modelo B, o controle dos créditos de ICMS dos bens do ativo permanente será efetuado individualmente, devendo a sua escrituração ser feita nas linhas, nos campos, nos quadros e nas colunas próprias, da seguinte forma:

I - campo Nº DE ORDEM: o número atribuído ao documento, que será seqüencial por bem;

II - quadro 1 - IDENTIFICAÇÃO: destina-se à identificação do contribuinte e do bem, contendo os seguintes campos:

a) CONTRIBUINTE: o nome do contribuinte;

b) INSCRIÇÃO: o número da inscrição estadual do estabelecimento;

c) BEM: a descrição do bem, modelo, números da série e da plaqueta de identificação, se houver;

III - quadro 2 - ENTRADA: as informações fiscais relativas à entrada do bem, contendo os seguintes campos:

a) FORNECEDOR: o nome do fornecedor;

b) Nº DA NOTA FISCAL: o número do documento fiscal relativo à entrada do bem;

c) Nº DO LRE: o número do livro Registro de Entradas em que foi escriturado o documento fiscal e o seu crédito;

d) FOLHA DO LRE: o número da folha do livro Registro de Entradas em que foi escriturado o documento fiscal e o seu crédito;

e) DATA DA ENTRADA: a data da entrada do bem no estabelecimento do contribuinte;

f) VALOR DO CRÉDITO: o valor do crédito do imposto relativo à aquisição, acrescido, quando for o caso, do ICMS correspondente ao serviço de transporte e ao diferencial de alíquotas, vinculados à aquisição do bem;

IV - quadro 3 - SAÍDA: as informações fiscais relativas à saída do bem, contendo os seguintes campos:

a) Nº DA NOTA FISCAL: o número do documento fiscal relativo à saída do bem;

b) MODELO: o modelo do documento fiscal relativo à saída do bem;

c) DATA DA SAÍDA: a data da saída do bem do estabelecimento do contribuinte;

V - quadro 4 - ESTORNO MENSAL: destina-se à escrituração, nas colunas sob os títulos correspondentes do 1º ao 5º ano, do estorno proporcional à relação entre as saídas e prestações isentas ou não tributadas e o total das saídas e prestações escrituradas no mês, contendo os seguintes campos:

a) MÊS: o mês objeto de escrituração, caso o período de apuração seja mensal;

b) FATOR: o fator mensal será igual a 1/60 (um sessenta avos) da relação entre a soma das saídas e prestações isentas ou não tributadas e o total das saídas e prestações escrituradas no mês;

c) VALOR: o valor do estorno, que será obtido pela multiplicação do fator pelo valor do crédito apropriado por ocasião da entrada do bem;

VI - quadro 5 - ESTORNO POR SAÍDA OU PERDA: destina-se à escrituração do saldo sujeito ao estorno, quando ocorrer perecimento, extravio, deterioração ou alienação do bem antes de completado o qüinqüênio, contado da data da sua aquisição, contendo os seguintes campos:

a) ANO: o ano da ocorrência;

b) FATOR: o fator decorrente da saída ou perda do bem, que será de 20% (vinte por cento) ao ano ou fração que faltar para completar o qüinqüênio;

c) VALOR: o valor do estorno, que será obtido pela multiplicação do fator pelo valor do crédito apropriado por ocasião da entrada do bem, deduzindo, se for o caso, o valor dos estornos mensais ocorridos no ano da saída ou perda.

§ 1º Quando o período de apuração do imposto for diferente do mensal, o fator de 1/60 (um sessenta avos) deverá ser ajustado, sendo efetuadas as adaptações necessárias no quadro 4 - ESTORNO MENSAL.

§ 2º O CIAP, modelo B, deverá ser mantido à disposição do Fisco, pelo prazo prescricional.

Art. 3º No CIAP modelo D o controle dos créditos de ICMS dos bens do ativo permanente será efetuado individualmente, devendo a sua escrituração ser feita nas linhas, nos campos, nos quadros e nas colunas próprias, da seguinte forma:

I - campo Nº DE ORDEM: o número atribuído ao documento, que será seqüencial por bem;

II - quadro 1 - IDENTIFICAÇÃO: destina-se à identificação do contribuinte e do bem, contendo os seguintes campos:

a) CONTRIBUINTE: o nome do contribuinte;

b) INSCRIÇÃO: o número da inscrição estadual do estabelecimento;

c) BEM: a descrição do bem, modelo, números da série e da plaqueta de identificação, se houver;

III - quadro 2 - ENTRADA: as informações fiscais relativas à entrada do bem, contendo os seguintes campos:

a) FORNECEDOR: o nome do fornecedor;

b) Nº DA NOTA FISCAL: o número do documento fiscal relativo à entrada do bem;

c) Nº DO LRE: o número do livro Registro de Entradas em que foi escriturado o documento fiscal;

d) FOLHA DO LRE: o número da folha do livro Registro de Entradas em que foi escriturado o documento fiscal;

e) DATA DA ENTRADA: a data da entrada do bem no estabelecimento do contribuinte;

f) VALOR DO ICMS: o valor do imposto relativo à aquisição, acrescido, quando for o caso, do ICMS correspondente ao serviço de transporte e ao diferencial de alíquotas, vinculados à aquisição do bem;

IV - quadro 3 - SAÍDA: as informações fiscais relativas à saída do bem, contendo os seguintes campos:

a) Nº DA NOTA FISCAL: o número do documento fiscal relativo à saída do bem;

b) MODELO: o modelo do documento fiscal relativo à saída do bem;

c) DATA DA SAÍDA: a data da saída do bem do estabelecimento do contribuinte;

V - quadro 4 - PERDA: as informações relativas à ocorrência de perecimento, extravio, deterioração do bem, contendo os seguintes campos:

a) o tipo de evento ocorrido, com descrição sumária do mesmo;

b) a data da ocorrência do evento;

VI - quadro 5 - APROPRIAÇÃO MENSAL DO CRÉDITO: destina-se à escrituração, nas colunas sob os títulos correspondentes do 1º ao 4º ano, do crédito a ser apropriado proporcionalmente à relação entre as saídas e prestações tributadas e de exportação e o total das saídas e prestações escrituradas no mês, contendo os seguintes campos:

a) MÊS: o mês objeto de escrituração, caso o período de apuração seja mensal;

b) FATOR: o fator mensal será igual a 1/48 (um quarenta e oito avos) da relação entre a soma das saídas e prestações tributadas e de exportação e o total das saídas e prestações escrituradas no mês;

c) VALOR: o valor do crédito a ser apropriado, que será obtido pela multiplicação do fator pelo valor do imposto de que trata a alínea “f” do inciso III.

§ 1º Quando o período de apuração do imposto for diferente do mensal, o FATOR de 1/48 (um quarenta e oito avos) deverá ser ajustado, sendo efetuadas as adaptações necessárias no quadro 5 - APROPRIAÇÃO MENSAL DO CRÉDITO.

§ 2º O CIAP modelo D, deverá ser mantido à disposição do Fisco, pelo prazo prescricional.

Art. 4º A escrituração do CIAP deverá ser feita:

I - até o dia seguinte ao da:

a) entrada do bem;

b) emissão da nota fiscal referente à saída do bem;

c) ocorrência do perecimento, extravio ou deterioração do bem;

II - no último dia do período de apuração, com relação aos lançamentos das parcelas correspondentes, conforme o caso, ao estorno ou ao crédito do imposto, não podendo atrasar-se por mais de 05 (cinco) dias.

Art. 5º Será permitida, relativamente à escrituração do CIAP, a utilização do sistema eletrônico de processamento de dados.

Art. 6º Em relação aos bens destinados ao ativo permanente, a partir de 1º de janeiro de 2001, as respectivas Notas Fiscais de aquisição deverão ser escrituradas na forma estabelecida no Regulamento do ICMS, com exceção da coluna “Imposto Creditado”, devendo constar na coluna “Observações” a seguinte expressão: “Aquisição de Bens Destinado ao Ativo Permanente”.

Art. 7º Relativamente ao período compreendido entre novembro de 1996 e o mês anterior à publicação deste Decreto, o documento “Controle de Apropriação de Crédito do ICMS do Ativo Permanente – CIAP” será também escriturado, de modo a consignar todas as informações pertinentes ao período, atendidas as exigências contidas neste Decreto e a escrituração de um documento para cada período mensal de apuração, observado os modelos:

I - B, em relação ao período compreendido entre novembro de 1996 e dezembro de 2000;

II - D, em relação ao período compreendido entre janeiro de 2001 e o mês anterior à publicação deste Decreto.

Art. 8º Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação.

PALÁCIO MARECHAL FLORIANO PEIXOTO, em Maceió, de de 2002.

RONALDO LESSA

GOVERNADOR

 

SÉRGIO ROBERTO UCHÔA DÓRIA

SECRETÁRIO DA FAZENDA

 

ANEXO I

CONTROLE DE CRÉDITO DO ICMS DO ATIVO PERMANENTE - CIAP (MODELO B) 


CONTROLE DE CRÉDITO DE ICMS DO ATIVO PERMANENTE – CIAP

MODELO B

Nº de ordem

1 - IDENTIFICAÇÃO

 

Contribuinte

 

Inscrição

 

Bem

 

2 - ENTRADA

 

Fornecedor

 

Nº da Nota Fiscal

 

Nº do LRE

 

Folha do LRE

 

Data da Entrada

 

Valor do Crédito

 

       

3 - SAÍDA

 

Nº da Nota Fiscal

 

Modelo

 

Data da Saída

 

4 - ESTORNO MENSAL

 

1º ANO

 

2º ANO

 

3º ANO

 

Mês

 

Fator

 

Valor

 

Mês

 

Fator

 

Valor

 

Mês

 

Fator

 

Valor

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

10º

 

  

 

  

 

10º

 

  

 

  

 

10º

 

  

 

  

 

 

11º

 

  

 

  

 

11º

 

  

 

  

 

11º

 

  

 

  

 

 

12º

 

  

 

  

 

12º

 

  

 

  

 

12º

 

  

 

  

 

 

4º ANO

 

5º ANO

 

 

 

5 – ESTORNO POR SAÍDA

 

Mês

 

Fator

 

Valor

 

Mês

 

Fator

 

Valor

 

  

 

OU PERDA

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

Ano

 

Fator

 

Valor

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

10º

 

  

 

  

 

10º

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

11º

 

  

 

  

 

11º

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

12º

 

  

 

  

 

12º

 

  

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

 

ANEXO II - CONTROLE DE CRÉDITO DE ICMS DO ATIVO PERMANENTE - CIAP - (MODELO D)

imagem inicial